sábado, 26 de junho de 2010

DOMINAR O PECADO DEPENDE DE NÓS:

"Então, lhe disse o Senhor: 'Por que andas irado, e por que descaiu o teu semblante? Se procederes bem, não é certo que serás aceito? Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo'" (Gênesis 4.6-7, meus destaques).

INTRODUÇÃO:
O tema a ser abordado neste texto não é apenas uma ideia trazida pela mente; é uma experiência que tenho vivido nos últimos onze anos, um período em que experimentei alguns sentimentos bastante ruins, como revolta, medo, desânimo, vontade de "sumir do mapa", vontade de virar um eremita... Ou seja, foi um período em que experimentei o que é rebelar-se contra a vontade de Deus e o que é pecar intencionalmente, pois, na minha cabeça, não tinha mais a atenção dEle e, por isso, queria que Ele "usasse" alguém para repreender-me duramente, com palavras bem pesadas, do tipo "ou endireita ou morre". Mas Deus não age assim; Ele não ameaça Seus filhos, Ele os corrige. Seu método de ensino e de correção é, ao mesmo tempo, duro e eficaz, pois Ele mostra NA SUA PALAVRA qual é o caráter de quem insiste em viver no pecado e quais são as consequências de andar no pecado. Em resumo, não há ninguém que seja inocente a Seus olhos, a não ser que esteja debaixo do Sangue do Cordeiro.

O meu objetivo aqui é o de compartilhar com você a minha experiência, mostrando que é NOSSA a obrigação de mantermos nossos olhos, mentes, pés e corações longe das garras satânicas do pecado, e a única forma de nos mantermos longe delas é tendo um coração sempre grato a Deus e reconhecendo a Sua soberania sobre nossas vidas, planos, desejos e projetos.

Que o Senhor nos ajude a andar em Sua presença, viver em santidade e fazer a diferença neste mundo apodrecido pelo pecado.

Martins Pessôa Regis Júnior.

20 de junho de 2010.

A REBELIÃO É UMA FORMA DE INGRATIDÃO A DEUS (23 DE JUNHO DE 2010):

"Olhei, e eis que havíeis pecado contra o Senhor, vosso Deus; tínheis feito para vós outros um bezerro fundido; cedo vos desviastes do caminho que o Senhor vos ordenara... Porém, tomei o vosso pecado, o bezerro que tínheis feito, e o queimei, e o esmaguei, moendo-o bem, até que se desfez em pó; e o seu pó lancei no ribeiro que descia do monte" (Deuteronômio 9.16, 21);

"Quando também o Senhor vos enviou de Cades-Barneia, dizendo: 'Subi e possuí a terra que vos dei', rebeldes fostes ao mandado do Senhor, vosso Deus, e não o crestes, e não obedecestes à sua voz. Rebeldes fostes contra o Senhor, desde o dia em que vos conheci" (9.23-24).

Todos nós conhecemos a história da libertação do povo de Israel do cativeiro egípcio e a caminhada dramática deste povo rumo à Terra Prometida, a região de Canaã, terra fértil dentro da atual Palestina. Entre milagres e a transmissão de ordens, vindas pela parte do Senhor, o povo de Israel, estimulado pelos representantes de outros povos que se infiltraram no meio dele, trazendo murmuração, rebeliões e incredulidade, apesar dos grandes milagres vindos das mãos do Senhor, como a abertura do mar Vermelho e a destruição dos soldados egípcios e o maná, que veio dos céus, como os principais exemplos dessa linda e complicada narrativa.

O apóstolo Paulo se lembra do caso quando escreve à complicada Igreja em Corinto, mostrando que a punição à rebelião é tão severa na Graça como na Lei Mosaica:

"Ora, estas coisas se tornaram exemplos para nós, a fim de que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram. Não vos façais, pois, idólatras, como alguns deles; porquanto está escrito: 'O povo se assentou para comer e beber e levantou-se para divertir-se'. E não pratiquemos imoralidade, como alguns deles fizeram, e caíram, num só dia, vinte e três mil. Não ponhamos o Senhor à prova, como alguns deles já fizeram e pereceram pelas mordeduras das serpentes. Nem murmureis, como alguns deles murmuraram e foram destruídos pelo exterminador. Estas coisas lhes sobrevieram como exemplos e foram escritas para advertência nossa, de nós outros sobre quem os fins dos séculos têm chegado. Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia" (I Coríntios 10.6-12).

Vejam a sequência que Paulo dá aos fatos:

1. Não devemos cobiçar as coisas deste mundo:
Não devemos cobiçar as coisas más, como eles cobiçaram (v. 6). Um exemplo das consequências de alguém que cobiçou coisas más, é a história de Acã, encontrada em Josué 7, que provocou a derrota de Israel em face de Ai, um pequeno vilarejo. Antes de entrarmos no mérito do caso (perdoem a linguagem jurídica, é o hábito...), vejamos o que motivou a queda de Israel. Josué declarou a seguinte condenação sobre Jericó:

"Porém a cidade será condenada, ela e tudo quanto nela houver; somente viverá Raabe, a prostituta, e todos os que estiverem com ela em casa, porquanto escondeu os mensageiros que enviamos. Tão somente guardai-vos das coisas condenadas, para que, tendo-as vós condenado, não as tomeis; e assim torneis maldito o arraial de Israel e o confundais. Porém, toda prata, e ouro, e utensílios de bronze e de ferro são consagrados ao Senhor; irão para o seu tesouro" (Josué 6.17-19, destaques nossos).

Porém Acã não obedeceu a Josué e tomou para si coisas condenadas, o que provocou a ira do Senhor, que fez com que Israel fosse derrotado pela minúscula comunidade de Ai. Vejam a dura palavra vinda do Senhor:

"Respondeu o Senhor a Josué: 'Levanta-te! por que estás assim prostrado com o rosto em terra? Israel pecou; eles transgrediram o meu pacto que lhes tinha ordenado; tomaram do anátema, furtaram-no e, dissimulando, esconderam-no entre a sua bagagem. Por isso os filhos de Israel não puderam subsistir perante os seus inimigos, viraram as costas diante deles, porquanto se fizeram anátema. Não serei mais convosco, se não destruirdes o anátema do meio de vós'" (Josué 7.10-12, grifos nossos).

Atentem para o que o Senhor disse a Josué: ele não deveria ficar prostrado, clamando ao Senhor, pois alguém havia agido contra a proibição prolatada pelo próprio Josué. Deus identificou que pecado foi cometido: alguém havia tomado do anátema (das coisas condenadas), pela prática do furto (que é definido pelo Código Penal brasileiro como "Subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel" - artigo 155). Ele agiu de forma dissimulada, furtivamente, escondendo no meio de sua bagagem. Por essa razão, o Senhor não permaneceria com eles, enquanto não fosse destruído o anátema no meio de Israel.

Para identificar o culpado, Josué chamou as doze tribos e, delas, foi sorteada a tribo de Judá; de Judá, foi sorteada a família dos zeraítas; entre os zeraítas, foi escolhido Zabdi, líder de sua família; vindo os homens de sua casa, Acã foi identificado. Ao ser questionado por Josué, ele respondeu:

"Verdadeiramente, pequei contra o Senhor, Deus de Israel, e fiz assim e assim. Quando vi entre os despojos uma boa capa babilônica, e duzentos siclos de prata, e uma barra de ouro do peso de cinquenta siclos, cobicei-os e tomei-os; e eis que estão escondidos na terra, no meio da minha tenda, e a prata por baixo" (7.20-21).

Vejam que coisa triste! Acã tomou para si coisas consagradas à destruição e teve como resultado a punição sobre todo o Israel, por causa da sua cobiça louca. A consequência disso veio: ele, sua família, seus animais, seus bens e aquelas coisas consagradas à destruição, como vocês podem ler em Josué 7.22-26.

Que seriam as coisas consagradas à destruição em nossos dias, tendo por base essa passagem? Podemos elencar uma infinidade de coisas que são maléficas à nossa saúde emocional e espiritual, vindo a trazer destruição para nossos lares e finanças. Dentre elas, podemos mencionar:

  1. Pornografia, que é uma prática de prostituição muito comum em nossos dias, principalmente pelo engano do "nu artístico";
  2. Jogos lícitos (loterias, cassinos – fora do Brasil, "raspadinhas" etc.); jogos ilícitos ("jogo do bicho", bingos etc.);
  3. Pequenos furtos (material do trabalho, dinheiro recebido para determinada finalidade, gasto do tempo em práticas diversas a do trabalho etc.).

Existem outras práticas que, apesar de "habituais" entre os ímpios, para nós, conhecedores da Palavra do Senhor, é abominável aos olhos do Senhor, pois demonstra INFIDELIDADE da nossa parte, contra nós mesmos, nossos familiares, patrões, contra a Sociedade e contra o Senhor! Vejam o que o apóstolo João nos diz sobre essas coisas:

"Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não vêm do Pai, mas sim do mundo" (I João 2.16).

2. Não devemos ser idólatras e imorais (25 de junho de 2010):
Paulo continua a nos alertar quanto à progressão da rebelião contra Deus. Como vimos antes, ela começa pela cobiça. A prática da idolatria e da imoralidade também ofende ao Senhor, pois, no primeiro caso, estamos destronando o Senhor do nosso coração e colocando em Seu lugar outras coisas que são efêmeras e que perecem com o tempo. Em relação à imoralidade, a situação é tão ruim quanto: se na idolatria destronamos o Senhor de nossos corações, na imoralidade, profanamos Sua habitação. É exatamente isso: a IMORALIDADE É PROFANAÇÃO! O apóstolo Paulo nos fala sobre isso de forma muito, muito clara:

"Portanto, meus amados, fugi da idolatria. Falo como a entendidos; julgai vós mesmos o que digo. Porventura o cálice de bênção que abençoamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos, não é porventura a comunhão do corpo de Cristo? Pois nós, embora muitos, somos um só pão, um só corpo; porque todos participamos de um mesmo pão. Vede a Israel segundo a carne; os que comem dos sacrifícios não são porventura participantes do altar? Mas que digo? Que o sacrificado ao ídolo é alguma coisa? Ou que o ídolo é alguma coisa? Antes digo que as coisas que eles sacrificam, sacrificam-nas a demônios, e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios. Não podeis beber do cálice do Senhor e do cálice de demônios; não podeis participar da mesa do Senhor e da mesa de demônios" (I Coríntios 10.14-21).

Como podemos ver, a prática da idolatria é como se estivéssemos participando da mesa de demônios. Além disso, no Antigo Testamento, em especial nos tempos dos profetas, era tido como ADULTÉRIO, onde o Esposo é o Senhor e a Esposa, Israel. Hoje, o Senhor Jesus é o Noivo e a Igreja, a Noiva. E como a relação entre noivos era um casamento ainda não consumado (em termos físicos), qualquer ato de traição durante esse período pode ser tido como ADULTÉRIO.

Vejamos um exemplo de passagem que traz a relação entre IDOLATRIA E ADULTÉRIO:

"'Mas confiaste na tua formosura, e te corrompeste por causa da tua fama; e derramavas as tuas prostituições sobre todo o que passava, para seres dele. E tomaste dos teus vestidos e fizeste lugares altos adornados de diversas cores, e te prostituíste sobre eles, como nunca sucedera, nem sucederá. Também tomaste as tuas belas joias feitas do meu ouro e da minha prata que eu te havia dado, e te fizeste imagens de homens, e te prostituíste com elas; e tomaste os teus vestidos bordados, e as cobriste; e puseste diante delas o meu azeite e o meu incenso. E o meu pão que te dei, a flor de farinha, e o azeite e o mel, com que eu te sustentava, também puseste diante delas em cheiro suave', diz o Senhor Deus. 'Além disto, tomaste a teus filhos e tuas filhas, que me geraras, e lhos sacrificaste, para serem devorados pelas chamas. Acaso foi a tua prostituição de tão pouca monta, que havias de matar meus filhos e lhos entregar, fazendo os passar pelo fogo? E em todas as tuas abominações, e nas tuas prostituições, não te lembraste dos dias da tua mocidade, quando tu estavas nua e descoberta, e jazias no teu sangue. E sucedeu, depois de toda a tua maldade (ai, ai de ti! diz o Senhor Deus), que te edificaste uma câmara abobadada, e fizeste lugares altos em todas as praças. A cada canto do caminho edificaste o teu lugar alto, e fizeste abominável a tua formosura, e alargaste os teus pés a todo o que passava, e multiplicaste as tuas prostituições. Também te prostituíste com os egípcios, teus vizinhos, grandemente carnais; e multiplicaste a tua prostituição, para me provocares à ira. Pelo que estendi a minha mão sobre ti, e diminuí a tua porção; e te entreguei à vontade dos que te odeiam, das filhas dos filisteus, as quais se envergonhavam do teu caminho depravado. Também te prostituíste com os assírios, porquanto eras insaciável; contudo, prostituindo-te com eles, nem ainda assim ficaste farta. Demais multiplicaste as tuas prostituições na terra de tráfico, isto é, até Caldeia, e nem ainda com isso te fartaste. Quão fraco é teu coração, diz o Senhor Deus, fazendo tu todas estas coisas, obra duma meretriz desenfreada, edificando a tua câmara abobadada no canto de cada caminho, e fazendo o teu lugar alto em cada rua!
Não foste sequer como a meretriz, pois desprezaste a paga; tens sido como a mulher adúltera que, em lugar de seu marido, recebe os estranhos. A todas as meretrizes se dá a sua paga, mas tu dás presentes a todos os teus amantes; e lhes dás peitas, para que venham a ti de todas as partes, pelas tuas prostituições. Assim és diferente de outras mulheres nas tuas prostituições; pois ninguém te procura para prostituição; pelo contrário tu dás a paga, e não a recebes; assim és diferente. Portanto, ó meretriz, ouve a palavra do Senhor'. Assim diz o Senhor Deus: 'Pois que se derramou a tua lascívia, e se descobriu a tua nudez nas tuas prostituições com os teus amantes; por causa também de todos os ídolos das tuas abominações, e do sangue de teus filhos que lhes deste; portanto eis que ajuntarei todos os teus amantes, com os quais te deleitaste, como também todos os que amaste, juntamente com todos os que odiaste, sim, ajuntá-los-ei contra ti em redor, e descobrirei a tua nudez diante deles, para que vejam toda a tua nudez. E julgar-te-ei como são julgadas as adúlteras e as que derramam sangue; e entregar-te-ei ao sangue de furor e de ciúme. Também te entregarei nas mãos dos teus inimigos, e eles derribarão a tua câmara abobadada, e demolirão os teus altos lugares, e te despirão os teus vestidos, e tomarão as tuas belas joias, e te deixarão nua e descoberta'
" (Ezequiel 16.15-39, destaques nossos).

Acredito que a passagem acima, tirada do livro de Ezequiel, seja suficiente para vermos a gravidade da idolatria. Mas não é somente a idolatria que é comparada aqui ao adultério. Quando deixamos de confiar no Senhor e passamos a confiar nas outras pessoas e em nosso próprio entendimento, nos tornamos igualmente adúlteros. No exemplo acima, vimos que Israel se prostituiu não só com os ídolos cananeus (principalmente Moloque, para quem sacrificaram seus filhos – vv. 20-21), como também com o Egito (v. 26), a Assíria (v. 28) e a Caldeia (v.29).

Ainda de acordo com a visão bíblica, trazida pelo apóstolo Paulo, a imoralidade também é um pecado seriíssimo, pois, como disse antes, é profanação ao Templo do Senhor, como podemos ver na passagem a seguir:

"Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, pois, os membros de Cristo, e os farei membros de uma meretriz? De modo nenhum. Ou não sabeis que o que se une à meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque, como foi dito, os dois serão uma só carne. Mas, o que se une ao Senhor é um só espírito com ele. Fugi da prostituição. Qualquer outro pecado que o homem comete, é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo. Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que habita em vós, o qual possuís da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo" (I Coríntios 6.15-21).

Um dos maiores erros cometidos em nossos dias, trazido talvez pela ignorância ou pela maldade de alguns indivíduos que se infiltraram em nosso meio, é a má interpretação de uma das mais belas passagens da Palavra de Deus. Vamos lê-la e, posteriormente, comentá-la:

"Pela manhã cedo voltou ao templo, e todo o povo vinha ter com ele; e Jesus, sentando-se o ensinava. Então os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério; e pondo-a no meio, disseram-lhe: 'Mestre, esta mulher foi apanhada em flagrante adultério. Ora, Moisés nos ordena na lei que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes?' Isto diziam eles, tentando-o, para terem de que o acusar. Jesus, porém, inclinando-se, começou a escrever no chão com o dedo. Mas, como insistissem em perguntar-lhe, ergueu-se e disse-lhes: 'Aquele dentre vós que está sem pecado seja o primeiro que lhe atire uma pedra'. E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra. Quando ouviram isto foram saindo um a um, a começar pelos mais velhos, até os últimos; ficou só Jesus, e a mulher ali em pé. Então, erguendo-se Jesus e não vendo a ninguém senão a mulher, perguntou-lhe: 'Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou?' Respondeu ela: 'Ninguém, Senhor'. E disse-lhe Jesus: 'Nem eu te condeno; vai-te, e não peques mais'" (João 8.2-11).

A passagem acima é mal utilizada por aqueles que querem esconder seus pecados atrás de uma falsa tolerância divina. Como vimos na passagem retirada do profeta Ezequiel, DEUS NÃO TOLERA O PECADO, pois o pecado é ABOMINÁVEL AOS OLHOS DELE! Nesta passagem, vemos alguns detalhes bem claros, como a intenção dos fariseus, que não é importante neste momento. Quero destacar o que Jesus viu aqui:

  1. Quando Ele diz a todos os acusadores que, se alguém estiver sem pecado que atire pedras à mulher, Ele quis dizer que todos os acusadores, de alguma forma, havia pecado. Não há, diante de Deus, graus de pecado (maiores ou menores). Todos os pecados são abomináveis;
  2. Como nenhum deles ficou ali diante dEle e da mulher, nem mesmo os mais novos estavam isentos do pecado;
  3. Quando Jesus disse à mulher que também não a condenava, não era por tolerância, mas sim pelo arrependimento dela. Tanto é que Ele completa, e aí, sim, está a questão mais importante aqui: "VÁ-TE E NÃO PEQUES MAIS"!

Concluindo este tópico, vemos que a heresia da "tolerância divina" é algo bastante horroroso, que está conduzindo milhares ao engano, ao acharem que Deus está contemplando passivamente seus atos pecaminosos, esperando que nós tenhamos um "lapso" de consciência e saiamos do pecado. Todo pecado tem consequências, não havendo exceção para ninguém, pois todos nós pecamos e fomos destituídos da glória de Deus (Romanos 3.9-18).

3. Não ponhamos Deus à prova (25/26 de junho de 2010):

"Disse-lhe o Senhor: 'Conforme a tua palavra lhe perdoei; tão certo, porém, como eu vivo, e como a glória do Senhor encherá toda a terra, nenhum de todos os homens que viram a minha glória e os sinais que fiz no Egito e no deserto, e, todavia me tentaram estas dez vezes, não obedecendo à minha voz, nenhum deles verá a terra que com juramento prometi o seus pais; nenhum daqueles que me desprezaram a verá'" (Números 14.20-23);

"Então o Diabo o levou à cidade santa, colocou-o sobre o pináculo do templo, e disse-lhe: 'Se tu és Filho de Deus, lança-te daqui abaixo; porque está escrito: "Aos seus anjos dará ordens a teu respeito; e: eles te susterão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra"'. Replicou-lhe Jesus: 'Também está escrito: "Não tentarás o Senhor teu Deus"'" (Mateus 4.5-7).

Quando lemos a narrativa da rebelião dos israelitas, encontrada em Números 14 a 17, vemos o quanto é perigoso provocarmos a ira de Deus contra nós. Vimos anteriormente que o Senhor não tolera o pecado, pois é uma abominação contra Ele. No curso da história bíblica, vemos que Israel desafiava a paciência divina de forma assustadoramente irresponsável e imprudente. Como exemplos disso, podemos destacar as seguintes passagens:

  1. "Ora, Corá, filho de Izar, filho de Coate, filho de Levi, juntamente com Datã e Abirão, filhos de Eliabe, e Om, filho de Pelete, filhos de Rúben, tomando certos homens, levantaram-se perante Moisés, juntamente com duzentos e cinquenta homens dos filhos de Israel, príncipes da congregação, chamados à assembleia, varões de renome; e ajuntando-se contra Moisés e contra Arão, disseram-lhes: 'Demais é o que vos arrogais a vós, visto que toda a congregação e santa, todos eles são santos, e o Senhor está no meio deles; por que, pois, vos elevais sobre a assembleia do Senhor'? Quando Moisés ouviu isso, caiu com o rosto em terra; depois falou a Corá e a toda a sua companhia, dizendo: 'Amanhã pela manhã o Senhor fará saber quem é seu, e quem é o santo, ao qual ele fará chegar a si; e aquele a quem escolher fará chegar a si. Fazei isto: Corá e toda a sua companhia, tomai para vós incensários; e amanhã, pondo fogo neles, sobre eles deitai incenso perante o Senhor; e será que o homem a quem o Senhor escolher, esse será o santo; demais é o que vos arrogais a vós, filhos de Levi'. Disse mais Moisés a Corá: 'Ouvi agora, filhos de Levi! Acaso é pouco para vós que o Deus de Israel vos tenha separado da congregação de Israel, para vos fazer chegar a si, a fim de fazerdes o serviço do tabernáculo do Senhor e estardes perante a congregação para ministrar-lhe, e te fez chegar, e contigo todos os teus irmãos, os filhos de Levi? procurais também o sacerdócio? Pelo que tu e toda a tua companhia estais congregados contra o Senhor; e Arão, quem é ele, para que murmureis contra ele'? Então Moisés mandou chamar a Datã e a Abirão, filhos de Eliabe; eles porém responderam: 'Não subiremos'... Então disse Moisés: 'Nisto conhecereis que o Senhor me enviou a fazer todas estas obras; pois não as tenho feito de mim mesmo'... 'Se estes morrerem como morrem todos os homens, e se forem visitados como são visitados todos os homens, o Senhor não me enviou Mas, se o Senhor criar alguma coisa nova, e a terra abrir a boca e os tragar com tudo o que é deles, e vivos descerem ao Seu, então compreendereis que estes homens têm desprezado o Senhor'. E aconteceu que, acabando ele de falar todas estas palavras, a terra que estava debaixo deles se fendeu; e a terra abriu a boca e os tragou com as suas famílias, como também a todos os homens que pertenciam a Corá, e a toda a sua fazenda" (Números 16.1-12; 28-32);
  2. "O anjo do Senhor subiu de Gilgal a Boquim, e disse: 'Do Egito vos fiz subir, e vos trouxe para a terra que, com juramento, prometi a vossos pais, e vos disse: "Nunca violarei e meu pacto convosco; e, quanto a vós, não fareis pacto com os habitantes desta terra, antes derrubareis os seus altares". Mas vós não obedecestes à minha voz. Por que fizestes isso? Pelo que também eu disse: "Não os expulsarei de diante de vós; antes estarão quais espinhos nas vossas ilhargas, e os seus deuses vos serão por laço"'. Tendo o anjo do Senhor falado estas palavras a todos os filhos de Israel, o povo levantou a sua voz e chorou" (Juízes 2.1-4).

Essas duas passagens foram escolhidas porque elas são as que melhor retratam o quão tolo é desafiar a soberania e a paciência divinas. Na primeira passagem, vemos que alguns homens, Coré, Datã e Abirão, reuniram ao seu redor duzentas e cinquenta pessoas para desafiarem a autoridade delegada de Moisés. O primeiro deles, Coré, era da família dos coraítas, da tribo de Levi, que o Senhor havia separado para cuidar do Tabernáculo. Ou seja, não se contentava com o trabalho que lhe havia sido delegado. Os outros dois, Datã e Abirão, eram irmãos, da tribo de Rúben. Em resumo, eles queriam ter os mesmos "direitos" de Moisés e de Arão de estarem diante do Senhor face a face.

Sempre que eu leio a primeira passagem, não faço muita força para entender o que se passou pelas cabeças deles e pelas de seus seguidores. Existem muitas pessoas que atualmente fazem um esforço enorme para conseguir um título de "pastor" ou qualquer outro cargo eclesiástico, como se isso fosse lhes dar um status de superioridade sobre as outras pessoas. Infelizmente, acho que eles nunca sequer deram a devida atenção às palavras do próprio Senhor Jesus sobre o desejo de Seus discípulos para saber quem seria o "primeiro" entre eles:

"Jesus, pois, chamou-os para junto de si e lhes disse: 'Sabeis que os governadores dos gentios os dominam, e os seus grandes exercem autoridades sobre eles. Não será assim entre vós; antes, qualquer que entre vós quiser tornar-se grande, será esse o que vos sirva; e qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, será vosso servo; assim como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos'" (Mateus 20.25-28).

Como no início eu expus algumas particularidades da minha vida, não de forma clara, obviamente, vou dar minha opinião a respeito deste assunto em particular. As pessoas que veem o Ministério Eclesiástico como um meio de conquistar status e até mesmo certos privilégios são tolas e não têm a menor noção do que é servir ao Senhor. Assim como nunca deram a devida atenção à passagem que citei acima, tem outra que eles, me perdoem a gíria, "deixaram passar batido":

"Porque tenho para mim, que Deus a nós, apóstolos, nos pôs por últimos, como condenados à morte; pois somos feitos espetáculo ao mundo, tanto a anjos como a homens. Nós somos loucos por amor de Cristo, e vós sábios em Cristo; nós fracos, e vós fortes; vós ilustres, e nós desprezíveis. Até a presente hora padecemos fome, e sede; estamos nus, e recebemos bofetadas, e não temos pousada certa, e nos afadigamos, trabalhando com nossas próprias mãos; somos injuriados, e bendizemos; somos perseguidos, e o suportamos; somos difamados, e exortamos; até o presente somos considerados como o refugo do mundo, e como a escória de tudo. Não escrevo estas coisas para vos envergonhar, mas para vos admoestar, como a filhos meus amados" (I Coríntios 4.9-14).

Eu também gostaria muito que muitos dos Pastores que eu conheço tivessem o status humano que muitos julgam que todos têm, principalmente porque a dedicação deles à Obra do Senhor me constrange, a ponto de não me considerar digno de receber tal título, por motivos que Deus conhece muito bem. No entanto, Ele é Senhor e não vou lutar contra a Sua soberania. A quem Ele chama, também capacita.

A segunda passagem, encontrada em Juízes, retrata a desobediência e a frouxidão de Israel em não expulsar os cananeus da Terra Prometida. O resultado dessa frouxidão perdura até os dias atuais. Muitas vezes ficamos frouxos na hora de lutarmos para conquistarmos a vitória que o Senhor já colocou em nossas mãos, ou até mesmo contra alguns pecados "de estimação".

A consequência dessa frouxidão é clara: a situação nos domina e torna-se mais difícil de derrotá-la. Precisamos ter a coragem de dominá-lo e repreendê-lo em nome do Senhor Jesus, pois Ele já nos capacitou com poder e com Seu Santo Espírito para derrotar todos os nossos inimigos!

Ela demonstra também o perigo de sermos desobedientes a Deus. Quando agimos dessa forma, estamos provocando-O à ira. Outro exemplo triste disso é o do rei Saul, primeiro rei de Israel, que foi desobediente à uma ordem clara do Senhor. Leiamos a passagem que narra essa triste história:

"Então todo o Israel ouviu dizer que Saul ferira a guarnição dos filisteus, e que Israel se fizera abominável aos filisteus. E o povo foi convocado após Saul em Gilgal. E os filisteus se ajuntaram para pelejar contra Israel, com trinta mil carros, seis mil cavaleiros, e povo em multidão como a areia que está à beira do mar subiu e se acamparam em Micmás, ao oriente de Bete-Aven. Vendo, pois, os homens de Israel que estavam em aperto (porque o povo se achava angustiado), esconderam-se nas cavernas, nos espinhais, nos penhascos, nos esconderijos subterrâneos e nas cisternas. Ora, alguns dos hebreus passaram o Jordão para a terra de Gade e Gileade; mas Saul ficou ainda em Gilgal, e todo o povo o seguia tremendo. Esperou, pois, sete dias, até o tempo que Samuel determinara; não vindo, porém, Samuel a Gilgal, o povo, deixando a Saul, se dispersava. Então disse Saul: 'Trazei-me aqui um holocausto, e ofertas pacíficas'. E ofereceu o holocausto. Mal tinha ele acabado de oferecer e holocausto, eis que Samuel chegou; e Saul lhe saiu ao encontro, para saudar. Então perguntou Samuel: 'Que fizeste'? Respondeu Saul: 'Porquanto via que o povo, deixando-me, se dispersava, e que tu não vinhas no tempo determinado, e que os filisteus já se tinham ajuntado em Micmás, eu disse: Agora descerão os filisteus sobre mim a Gilgal, e ainda não aplaquei o Senhor. Assim me constrangi e ofereci o holocausto'. Então disse Samuel a Saul: 'Procedeste nesciamente; não guardaste o mandamento que o Senhor teu Deus te ordenou. O Senhor teria confirmado o teu reino sobre Israel para sempre; agora, porém, não subsistirá o teu reino; já tem o Senhor buscado para si um homem segundo o seu coração, e já o tem destinado para ser príncipe sobre o seu povo, porquanto não guardaste o que o Senhor te ordenou'" (I Samuel 13.4-14);

"Disse Samuel a Saul: 'Enviou-me o Senhor a ungir-te rei sobre o seu povo, sobre Israel; ouve, pois, agora as palavras do Senhor. Assim diz o Senhor dos exércitos: "Castigarei a Amaleque por aquilo que fez a Israel quando se lhe opôs no caminho, ao subir ele do Egito. Vai, pois, agora e fere a Amaleque, e o destrói totalmente com tudo o que tiver; não o poupes, porém matarás homens e mulheres, meninos e crianças de peito, bois e ovelhas, camelos e jumentos"'… E tomou vivo a Agague, rei dos amalequitas, porém a todo o povo destruiu ao fio da espada. Mas Saul e o povo pouparam a Agague, como também ao melhor das ovelhas, dos bois, e dos animais engordados, e aos cordeiros, e a tudo o que era bom, e não os quiseram destruir totalmente; porém a tudo o que era vil e desprezível destruíram totalmente. Então veio a palavra do Senhor a Samuel, dizendo: 'Arrependo-me de haver posto a Saul como rei; porquanto deixou de me seguir, e não cumpriu as minhas palavras'. Então Samuel se contristou, e clamou ao Senhor a noite toda… Veio, pois, Samuel ter com Saul, e Saul lhe disse: 'Bendito sejas do Senhor; já cumpri a palavra do Senhor'. Então perguntou Samuel: 'Que quer dizer, pois, este balido de ovelhas que chega aos meus ouvidos, e o mugido de bois que ouço'? Ao que respondeu Saul: 'De Amaleque os trouxeram, porque o povo guardou o melhor das ovelhas e dos bois, para os oferecer ao Senhor teu Deus; o resto, porém, destruímo-lo totalmente'. Então disse Samuel a Saul: 'Espera, e te declararei o que o Senhor me disse esta noite'. Respondeu-lhe Saul: 'Fala'. Prosseguiu, pois, Samuel: 'Embora pequeno aos teus próprios olhos, porventura não foste feito o cabeça das tribos de Israel? O Senhor te ungiu rei sobre Israel; e bem assim te enviou o Senhor a este caminho, e disse: "Vai, e destrói totalmente a estes pecadores, os amalequitas, e peleja contra eles, até que sejam aniquilados". Por que, pois, não deste ouvidos à voz do Senhor, antes te lançaste ao despojo, e fizeste o que era mau aos olhos do Senhor'? Então respondeu Saul a Samuel: 'Pelo contrário, dei ouvidos à voz do Senhor, e caminhei no caminho pelo qual o Senhor me enviou, e trouxe a Agague, rei de Amaleque, e aos amalequitas destruí totalmente; mas o povo tomou do despojo ovelhas e bois, o melhor do anátema, para o sacrificar ao Senhor teu Deus em Gilgal'. Samuel, porém, disse: 'Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à voz do Senhor? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, do que a gordura de carneiros Porque a rebelião é como o pecado de adivinhação, e a obstinação é como a iniquidade de idolatria. Porquanto rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou, a ti, para que não sejas rei'" (15.1-3; 8-11; 13-23).

Eu considero essas duas narrativas como as mais tristes da Palavra de Deus, assim como a advertência do Anjo do Senhor em Juízes 2 e a punição de Geazi, servo de Eliseu, por ter corrido atrás de Naamã, que está narrada em II Reis 5.20-27. Saul havia sido ungido como rei de Israel, mas foi precipitado (na primeira passagem e em outra passagem, que não citei aqui, em I Samuel 14.24-34, quando ele proferiu nesciamente uma maldição) e foi desobediente (na segunda passagem). Por causa desses dois atos de rebelião, o trono foi tirado de sua mão e dado nas mãos de Davi, seu sucessor.

Na segunda passagem, encontramos uma advertência que é muito séria para nós, hoje. Samuel diz ao rei Saul:

"Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à voz do Senhor? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, do que a gordura de carneiros, porque a rebelião é como o pecado de adivinhação, e a obstinação é como a iniquidade de idolatria. Porquanto rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou, a ti, para que não sejas rei" (15.23, meus destaques).

Existem casos em que os sacrifícios nada mais são do que uma tentativa de querermos nos justificar diante do Senhor. Por mais que jejuemos, subamos montes, fiquemos ajoelhados, com o rosto no chão, vestidos com panos de saco, nada disso será de grande valia, se não formos obedientes à Palavra do Senhor. Resumindo: é uma grande perda de tempo. Saul fez um sacrifício precipitado, pois temia que os soldados o abandonasse diante dos filisteus. Ele não se lembrou do exemplo de Gideão, por exemplo, que foi auxiliado pelo Senhor e lutou contra os midianitas com apenas trezentos homens (Juízes 7.1-23).

A obediência ao Senhor é CUMPRIRMOS a Sua Palavra em nossa vida, sem exceção. Existem pessoas que consideram algumas passagens bíblicas totalmente irreais, meras alegorias. Essas pessoas querem, implicitamente, dizer que ela não é totalmente verdadeira ou tangível. Precisamos, porém, ter em mente que o homem natural, sem o conhecimento e o discernimento que vêm da parte do Espírito Santo, não consegue discernir as coisas espirituais, posto que sua mente não foi liberta pela Palavra do Senhor (I Coríntios 2.4-16).

Um exemplo disso encontramos em Mateus 5.27-30:

"Ouvistes que foi dito: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela. Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno. E, se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que vá todo o teu corpo para o inferno".

Como podemos ver, Jesus não "aliviou" a situação em relação ao pecado, como alguns pensam. Quando Ele diz que matar alguém não consiste apenas em tirar-lhe a vida, mas humilhá-la a ponto de matar sua autoestima (Mateus 5.21-26). No entanto, há uma infinidade de pessoas que humilham, maltratam, escarnecem e ofendem os outros e ainda acham que estão impunes diante do Senhor. No entanto, como Ele mesmo disse a Jeremias, Ele vela para que Sua Palavra se cumpra (1.12).

Da mesma forma, Ele disse na passagem em destaque que, se alguém olhar para uma mulher (o mesmo, se uma mulher olhar para um homem) com desejo cobiçoso, já adulterou com ela (e). Ou seja, não basta a consumação do ato sexual para que seja configurado o adultério; a má intenção do coração já basta para configurar o pecado, pois ele nasce do coração corrupto. A solução para o problema? Livrar-se do que provoca o problema. Quando Ele diz que devemos "cortar o olho fora ou a mão fora", não está pregando a automutilação, mas uma atitude radical contra o pecado.

É exatamente aqui que abriremos a conclusão deste texto: a necessidade da mudança de atitude em relação ao pecado, para que sejamos vitoriosos contra ele, por pior que seja, por mais cativante que seja, por mais sedutor que seja, pois tudo isso fará com que nós sejamos lançados no inferno, e não há exceção, pois Deus não tem filhos favoritos; Ele tem filhos amados, resgatados pelo Sangue de Seu Filho, Jesus, este sim, o Filho em que Ele se compraz, pois cumpriu totalmente a Sua vontade, como podemos ver em Filipenses 2.5-11 e Hebreus 5.7-10. De acordo com esta última passagem, nós somos aperfeiçoados NA OBEDIÊNCIA ao Senhor, como Ele mesmo foi aperfeiçoado.

  1. O CHAMADO AO ARREPENDIMENTO (26 de junho de 2010):

"Lavai-vos, purificai-vos; tirai de diante dos meus olhos a maldade dos vossos atos; cessai de fazer o mal; aprendei a fazer o bem; buscai a justiça, acabai com a opressão, fazei justiça ao órfão, defendei a causa da viúva. Vinde, pois, e arrazoemos, diz o Senhor: ainda que os vossos pecados são como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que são vermelhos como o carmesim, tornar-se-ão como a lã. Se quiserdes, e me ouvirdes, comereis o bem desta terra; mas se recusardes, e fordes rebeldes, sereis devorados à espada; pois a boca do Senhor o disse" (Isaías 1.16-19).

O Senhor tem desejo de que todos se arrependam e voltem à comunhão com Ele. Além da passagem acima, encontramos outros chamados ao arrependimento, que vale a pena destacar:

  1. "Diz o Soberano, o Senhor, o Santo de Israel: 'No arrependimento e no descanso está a salvação de vocês, na quietude e na confiança está o seu vigor, mas vocês não quiseram'… Contudo, o Senhor espera o momento de ser bondoso com vocês; Ele ainda se levantará para mostrar-lhes compaixão. Pois o Senhor é Deus de justiça. Como são felizes todos os que nEle esperam" (Isaías 30.15-18 – NVI);
  2. "Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo, os seus pensamentos; converta-se ao Senhor, que se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus, porque é rico em perdoar" (Isaías 55.7 – NVI);
  3. "Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, donde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; e se não, brevemente virei a ti, e removerei do seu lugar o teu candeeiro, se não te arrependeres" (Apocalipse 2.4-5);
  4. "O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; porém é longânimo para convosco, não querendo que ninguém se perca, senão que todos venham a arrepender-se" (II Pedro 3.9);
  5. "Ao anjo da igreja em Pérgamo escreve: Isto diz aquele que tem a espada aguda de dois gumes:… Entretanto, algumas coisas tenho contra ti; porque tens aí os que seguem a doutrina de Balaão, o qual ensinava Balaque a lançar tropeços diante dos filhos de Israel, introduzindo-os a comerem das coisas sacrificadas a ídolos e a se prostituírem. Assim tens também alguns que de igual modo seguem a doutrina dos nicolaítas. Arrepende-te, pois; ou se não, virei a ti em breve, e contra eles batalharei com a espada da minha boca" (Apocalipse 2.12, 14-16);
  6. "Ao anjo da igreja em Tiatira escreve: Isto diz o Filho de Deus, que tem os olhos como chama de fogo, e os pés semelhantes a latão reluzente:… Mas tenho contra ti que toleras a mulher Jezabel, que se diz profetisa; ela ensina e seduz os meus servos a se prostituírem e a comerem das coisas sacrificadas a ídolos; e dei-lhe tempo para que se arrependesse; e ela não quer arrepender-se da sua prostituição. Eis que a lanço num leito de dores, e numa grande tribulação os que cometem adultério com ela, se não se arrependerem das obras dela; e ferirei de morte a seus filhos, e todas as igrejas saberão que eu sou aquele que esquadrinha os rins e os corações; e darei a cada um de vós segundo as suas obras. Digo-vos, porém, a vós os demais que estão em Tiatira, a todos quantos não têm esta doutrina, e não conhecem as chamadas profundezas de Satanás, que outra carga vos não porei; mas o que tendes, retende-o até que eu venha" (Apocalipse 2.18, 20-25);
  7. "Ao anjo da igreja em Sardes escreve: Isto diz aquele que tem os sete espíritos de Deus, e as estrelas: Conheço as tuas obras; tens nome de que vives, e estás morto. Sê vigilante, e confirma o restante, que estava para morrer; porque não tenho achado as tuas obras perfeitas diante do meu Deus. Lembra-te, portanto, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. Pois se não vigiares, virei como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei" (Apocalipse 3.1-3);
  8. "Ao anjo da igreja em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus: Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; oxalá foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és quente nem frio, vomitar-te-ei da minha boca. Porquanto dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um coitado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; aconselho-te que de mim compres ouro refinado no fogo, para que te enriqueças; e vestes brancas, para que te vistas, e não seja manifesta a vergonha da tua nudez; e colírio, a fim de ungires os teus olhos, para que vejas. Eu repreendo e castigo a todos quantos amo: sê pois zeloso, e arrepende-te. Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo" (Apocalipse 3.14-20).

Não quero estender-me mais do que já me estendi, principalmente porque considero que a Palavra de Deus fala por si mesma e que a mensagem nela contida é a própria voz do Senhor para nós. O Seu chamado ao arrependimento é claro e, como diz a última passagem destacada, cabe a nós ouvirmos à Sua voz, abrirmos nosso coração, Ele virá e ceará conosco, ou seja, restaurará a Sua comunhão conosco.

É necessário, também, que mudemos a nossa atitude em relação ao pecado, pois o pecado não é um "ursinho de pelúcia", de quem nos desfazemos se nos cansarmos dele; é um destruidor mortal e nos separa da presença do Altíssimo, pois Ele é Santo e não pode conviver com o pecado, que é abominável a Ele.

Para finalizar, quero destacar a advertência deixada por João Batista em Mateus 3.7-12:

"Mas, vendo ele muitos dos fariseus e dos saduceus que vinham ao seu batismo, disse-lhes: 'Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira vindoura? Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento, e não queirais dizer dentro de vós mesmos: "Temos por pai a Abraão; porque eu vos digo que mesmo destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abraão". E já está posto o machado á raiz das árvores; toda árvore, pois que não produz bom fruto, é cortada e lançada no fogo. Eu, na verdade, vos batizo em água, na base do arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu, que nem sou digno de levar-lhe as alparcas; ele vos batizará no Espírito Santo, e em fogo. A sua pá ele tem na mão, e limpará bem a sua eira; recolherá o seu trigo ao celeiro, mas queimará a palha em fogo inextinguível'".

Que o Senhor Jesus nos ajude a encontrarmos o caminho do arrependimento a cada dia!

Rio de Janeiro, 26 de junho de 2010.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

AS COPAS DO MUNDO E O FALSO NACIONALISMO BRASILEIRO


Esse vai ser um dos poucos assuntos que vou abordar no meu blog sem ter um rascunho por trás, pois vou colocar direto neste blog algo que me incomoda há bastante tempo e sei que esse assunto vai provocar um mal-estar que, sinceramente, quero que seja provocado, pois não há mudanças sem que haja, antes, um mal-estar.

Percebo, em nosso povo, uma hipocrisia misturada a uma histeria coletiva que beira à loucura e ao ridículo, ao mesmo tempo, sempre que temos uma Copa do Mundo. Esse "nacionalismo" é hipócrita, pois só vemos a ostentação da Bandeira Nacional nessa época, como se o nosso País vivesse somente em função do futebol e como se valesse à pena torcer por ele durante esses curtos e eletrizantes trinta e poucos dias de competição. Durante os outros três anos e onze meses, nós, brasileiros, tratamos nosso País como um pai doente e velho, que nos mimou tanto que, agora, o desprezamos por não dar a nós tudo aquilo que já sugamos dele. Parece uma loucura e, ao mesmo tempo, é ridículo, porque é uma barulheira de cornetas, chapéus circenses, óculos gigantescos e outras coisas que insistem em colocar o nosso povo como meros bobos da corte (sem aspas mesmo).

Coincidência ou não, as Copas do Mundo acontecem EXATAMENTE nos mesmos anos em que ocorrem as ELEIÇÕES GERAIS em nosso País, em que escolhemos o Presidente da República, os Governadores dos Estados, os Deputados Federais e Estaduais e os Senadores. Não estou querendo criar aqui uma "Teoria da Conspiração", principalmente porque os norte-americanos são mestres nisso e não tenho a menor intenção de copiá-los, mas parece que as cabeças dos brasileiros entram num estado de torpor nesse período, e nada importa mais do que onze caras correndo atrás de uma bola, com o objetivo de passar por outros onze caras e colocar a coitada bola no gol alheio. Se existem pessoas passando fome, frio (coisa estranha que, enfim, chegou ao Rio de Janeiro...), parece que, fora agora, só no Carnaval, parece não ter nenhuma importância. Se temos políticos mal intencionados, o problema é deles, queremos mais é torcer pela nossa Seleção. No meu curto entendimento, é um pensamento mesquinho.

Minha intenção aqui não é querer desmerecer a importância da competição, pois ela é bela, é empolgante, é emocionante; não nego isso. Quero, sim, que sejamos NACIONALISTAS mesmo, que ostentemos nossa belíssima Bandeira em nossas casas, em nossos carros, em nossos corpos até mesmo nos anos em que não há Copas do Mundo, Olimpíadas ou quaisquer outras competições, pois nosso País é muito mais que o futebol, muito mais que o Carnaval, muito mais que a Praia de Copacabana ou o Pelourinho. Ele é um País continental que tem lindas paisagens, o povo mais bonito e alegre da Terra e a vantagem de ter somente uma língua, de Norte a Sul, de Leste a Oeste.

AMO VOCÊ, BRASIL!